quarta-feira, fevereiro 14, 2024
Home Mundo Biden chama de exagerada a ofensiva de Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza

Biden chama de exagerada a ofensiva de Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza

por Leo Lopes
0 Comente
biden-chama-de-exagerada-a-ofensiva-de-israel-contra-o-hamas-na-faixa-de-gaza

O presidente americano Joe Biden, nesta quinta-feira (9), fez uma de suas repreensões mais duras até o momento à conduta militar de Israel em Gaza, dizendo que a operação para perseguir o Hamas foi “exagerada”.

Ele também expressou otimismo de que o acordo em negociação, combinando a libertação de reféns com uma pausa prolongada nos combates, poderia eventualmente levar a uma mudança mais sustentada na guerra.

E pintou um retrato nítido do sofrimento em Gaza, insistindo que é preciso fazer mais para conter a crise humanitária naquele país.

Feitos no final de uma inflamada entrevista coletiva à noite, os comentários de Biden ofereceram uma nova perspectiva para sua visão do conflito de quatro meses, que testou a diplomacia americana e expôs divisões dentro de sua coalizão democrata.

“Sou da opinião, como sabem, que a condução da resposta em Gaza – na Faixa de Gaza – foi exagerada”, disse Biden aos jornalistas na Casa Branca, descrevendo os seus próprios esforços para abrir Gaza de forma que mais ajuda humanitária possa entrar.

A sua avaliação da campanha militar israelense como excessiva marcou uma nova etapa na postura pública de Biden sobre a guerra.

Durante grande parte dos meses desde os ataques 7 de outubro, Biden abraçou Israel e defendeu firmemente o seu direito de perseguir o Hamas.

No entanto, a nível privado, a frustração dentro da Casa Branca tem aumentado no que diz respeito ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, por ter ignorado os apelos das autoridades americanas para a transição para uma fase de menor intensidade da guerra.

Biden e a sua equipe também ficaram irritados com as rejeições públicas de Netanyahu a uma solução de dois Estados, há muito tempo um eixo central da política americana na região.

O presidente dos EUA, Joe Biden, faz comentários na Sala de Recepção Diplomática da Casa Branca em 8 de fevereiro de 2024. / Nathan Howard/Getty Images

Durante as suas observações desta quinta-feira, Biden procurou destacar a situação dos habitantes de Gaza, que sofreram pesados ​​bombardeamentos israelitas e a falta de fornecimentos essenciais desde os ataques terroristas de 7 de Outubro, cometidos pelo Hamas.

“Tenho pressionado muito – muito mesmo – para levar assistência humanitária a Gaza. Muitas pessoas inocentes estão morrendo de fome. Muitas pessoas inocentes em apuros e morrendo. E isso tem que parar”, disse Biden.

Biden tem estado sob intensa pressão de membros do seu próprio partido para falar com mais veemência sobre a situação em Gaza e para exigir um cessar-fogo. Ele foi recebido com protestos em quase todos os lugares por onde viajou nas últimas semanas.

Enquanto os negociadores americanos, cataris e egípcios continuam a trabalhar para chegar a um acordo entre Israel e o Hamas para interromper os combates em troca da libertação dos prisioneiros, Biden disse que tal acordo poderia eventualmente levar a um tipo totalmente diferente de guerra.

“Estou pressionando muito agora para lidar com esse cessar-fogo de reféns”, disse Biden. “Tenho trabalhado incansavelmente nisto.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

inglês

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

News Post 2025 © Todos direitos reservados