segunda-feira, abril 15, 2024
Home Mundo Biden e Xi conversam pela primeira vez desde novembro em meio a tensões

Biden e Xi conversam pela primeira vez desde novembro em meio a tensões

por diegopavao
0 Comente
biden-e-xi-conversam-pela-primeira-vez-desde-novembro-em-meio-a-tensoes

O presidente dos EUA, Joe Biden, falou ao telefone com o presidente chinês, Xi Jinping, nesta terça-feira (2), marcando a primeira conversa entre os líderes desde sua histórica cúpula em novembro e os últimos esforços em andamento de autoridades norte-americanas e chinesas para acalmar as tensões entre as duas superpotências.

A ligação vem em meio a fortes turbulências globais – as guerras em curso em Gaza e na Ucrânia, bem como as capacidades nucleares da Coreia do Norte, temas que devem ter sido discutidos. Outras questões que tensionaram a relação Washington-Pequim estariam na pauta, incluindo Taiwan, as recentes provocações da China no Mar do Sul da China e as violações dos direitos humanos de Pequim.

Os dois líderes também deveriam discutir uma série de questões em que as autoridades dos EUA e da China veem espaço para cooperação, incluindo o combate às drogas, o mundo em rápido desenvolvimento da inteligência artificial e da mudança climática.

O bate-papo de Biden-Xi representa um acompanhamento de um compromisso simples que Biden fez publicamente depois de se encontrar com Xi por várias horas em Woodside, Califórnia, no outono passado: Eles se comprometeram a pegar o telefone e ligar mais frequentemente, com o objetivo de evitar mal-entendidos potencialmente perigosos entre dois dos países mais poderosos do mundo.

“O Presidente Biden e o Presidente Xi discutirão a relação bilateral EUA-China, a importância contínua de fortalecer as linhas de comunicação e gerenciar a concorrência de forma responsável e uma série de questões regionais e globais” um alto funcionário da administração disse aos repórteres antes da chamada. “A competição intensa requer diplomacia intensa para gerenciar tensões, lidar com percepções erradas e evitar conflitos não intencionais, e essa ligação é uma maneira de fazer isso.”

Um alto funcionário da administração que antecipou a chamada foi rápido em notar que, apesar dos grandes esforços que ambos os países tiveram no último ano para desescalar as altas tensões históricas na relação EUA X China, uma frase que Biden havia proferido após sua cúpula com Xi ainda permanece operável: “Confie, mas verifique.”

“Eu não acho que nós realmente aceitamos a palavra dos chineses quando eles dizem que farão ou não farão algo. Trata-se de verificar, como diz o presidente”, disse o funcionário à CNN quando perguntado sobre a promessa de Xi de que Pequim não interferirá nas eleições dos EUA em 2024. “Verificar os resultados que vemos, as ações que vemos e, em seguida, continuar a ressaltar e pressionar sobre quais são as nossas preocupações.”

Essa dinâmica foi ressaltada durante a cúpula de novembro, quando Biden – depois de ressaltar a natureza construtiva de seu encontro com Xi – disse a um repórter da CNN que ele ainda se referiria ao líder chinês como um ditador. O rótulo, que Biden havia usado anteriormente para descrever Xi, rapidamente atraiu a ira do governo chinês e marcou um fim desajeitado para o que foi uma reunião importante entre os dois líderes.

O governo de Biden planeja continuar enfatizando a Pequim as graves preocupações dos EUA com os esforços chineses para invadir a infraestrutura crítica dos EUA, disse a autoridade.

A CNN informou exclusivamente em janeiro que Xi havia dito a Biden quando se encontraram em novembro que a China não interferiria na eleição presidencial dos EUA e que essa garantia também havia sido reiterada pelo ministro das Relações Exteriores chinês ao conselheiro de segurança nacional de Biden, Jake Sullivan.

Biden e Xi também planejaram examinar alguns dos anúncios que saíram de sua cúpula na Califórnia no ano passado, incluindo o restabelecimento das comunicações entre militares dos dois países e sua promessa de trabalhar juntos para conter a produção de fentanil. A conversa foi feita para servir como um “check-in” sobre o progresso feito ao longo do último ano nessas áreas, disse a autoridade.

Era esperado que Biden abordasse o apoio da China à Rússia sobre a continuação de sua guerra na Ucrânia na chamada desta terça-feira (02), após a recente promessa de Xi de “fortalecer a coordenação estratégica” entre a China e a Rússia em uma chamada com o presidente russo Vladimir Putin no início deste ano.

E enquanto a China se esquivou de fornecer publicamente ajuda letal à Rússia para ajudar na invasão da Ucrânia, o oficial alertou que o apoio da China à Rússia permitiu o país ” reconstruir a base industrial de defesa da Rússia, essencialmente trazendo de volta o comércio de parceiros europeus.”

Biden e Xi falaram ao telefone pela última vez em julho de 2022.

“Esperamos que haja uma chance de outra reunião pessoal” em um futuro próximo, disse o alto funcionário da administração.

Viagem de Janet Yellen à China

Em uma marca significativa do envolvimento contínuo do governo Biden com Pequim, a secretária do Tesouro Janet Yellen está programada para visitar a China no fim desta semana, onde se reunirá com seus homólogos chineses em sua segunda visita ao país como secretária do Tesouro.

Yellen está programada para fazer duas paradas, viajando para Guangzhou e Pequim, para reuniões com economistas, estudantes e membros da comunidade empresarial. Uma autoridade do Tesouro disse a repórteres na segunda-feira (1º) que planejava ter discussões francas sobre o que o governo considera práticas comerciais “injustas” da China.

O secretário do Tesouro alertou vocalmente sobre a ameaça que o excesso de capacidade da China representa para a economia global, mas também advertiu que a dissociação com o gigante da manufatura seria “desastrosa” para os EUA.

Além de Yellen, outros funcionários dos EUA conversaram com seus homólogos chineses em 2024, demonstrando o quão crítico o governo vê seu relacionamento bilateral com o país.

Em janeiro, Sullivan se reuniu com o ministro das Relações Exteriores chinês em Bangkok, e o secretário de Estado Antony Blinken se reuniu com o funcionário chinês em Munique em fevereiro. Blinken também está programado para viajar para a China “nas próximas semanas”, disse o alto funcionário do governo aos repórteres na segunda-feira, enquanto o secretário de Defesa Lloyd Austin deve participar de uma chamada com o ministro da Defesa da China “em breve”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

inglês

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

News Post 2025 © Todos direitos reservados