domingo, abril 14, 2024
Home Politica Foragidos de Mossoró planejavam fugir para o exterior, afirma Lewandowski

Foragidos de Mossoró planejavam fugir para o exterior, afirma Lewandowski

0 Comente
foragidos-de-mossoro-planejavam-fugir-para-o-exterior,-afirma-lewandowski

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, disse na tarde desta quinta-feira (4) que os fugitivos da penitenciária federal de Mossoró (RN), capturados nesta manhã, planejavam ir para o exterior. “Fugitivos estavam em comboio do crime”, afirmou o chefe da pasta, que falou em “vitória das forças de segurança”. Mais quatro suspeitos de auxiliar na fuga foram detidos. Um fuzil foi apreendido com eles, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal).

“Foram presos em uma ponte [em Marabá (PA)]. Essa ponte foi fechada dos dois lados”, declarou o ministro. “Foi uma operação extremamente bem sucedida. Não foi disparado um tiro, nenhum ferido, nenhum morto”, comemorou.

“Eles voltarão para o lugar de onde saíram, em Mossoró.”. O ministro afirmou que a estrutura do presídio foi corrigida e que os problemas que levaram à fuga dos detentos foram resolvidos.

“Quero afirmar que é uma vitória do Estado brasileiro, das forças de segurança do Brasil, que demonstra que o crime organizado em nosso país não será bem-sucedido”, comemorou o ministro. Tivemos a demostração disso quando desvendamos o crime da vereadora Marielle [Franco], um trabalho de inteligência capitaneado pela Polícia Federal, MPF [Ministério Público Federal] e MP [Ministério Público] estadual, mostrando que a coordenação de forças leva ao sucesso”, disse o titular da pasta da Justiça e Segurança Pública.

Captura

Os dois foragidos da penitenciária federal de Mossoró (RN) foram capturados nesta quinta-feira (4), 50 dias após a fuga. Rogério da Silva Mendonça, 35 anos, e Deibson Cabral Nascimento, 33, foram encontrados em Marabá (PA) durante uma ação conjunta da Polícia Federal e da PRF (Polícia Rodoviária Federal). Eles escaparam do presídio na madrugada de 14 de fevereiro. A fuga foi a primeira desde a implementação do Sistema Penitenciário Federal no Brasil, em 2006.

A busca pelos detentos envolveu pelo menos 600 agentes. Desde que escaparam da penitenciária, os então fugitivos foram vistos em diversas ocasiões. Dois dias após a fuga, os homens teriam feito uma família refém na zona rural de Mossoró. Nesse dia, a polícia também encontrou, em uma área de mata, pegadas, calçados, roupas, lençóis e uma corda, além de uma camiseta do uniforme da penitenciária.

A força-tarefa dedicada à captura encontrou, em 25 de fevereiro, um possível esconderijo onde os fugitivos permaneceram por alguns dias, próximo à prisão. Foram descobertos um facão, uma lona e embalagens de comida no local.

Em 27 de fevereiro, os fugitivos foram avistados em um vilarejo no Rio Grande do Norte, onde moradores os reconheceram. Antes que a polícia pudesse intervir, eles retornaram para a mata. Uma recompensa de R$ 30 mil chegou a ser oferecida pela Polícia Federal por informações que levassem à captura.

Primeira fuga de presídio federal

Os detentos tiveram acesso a ferramentas usadas na reforma pela qual a unidade passa. Para o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, uma “série de fatores” levou à fuga, como falhas de construção da estrutura prisional e falta de funcionamento de câmeras e lâmpadas.

Os dois presos fugiram pela luminária que ficava em uma parede lateral da cela. Depois de atravessar a abertura, os fugitivos escalaram o shaft — vão interno para passagem de tubulações e instalações elétricas — até o teto, onde quebraram uma grade metálica e chegaram ao telhado da prisão.

“Em vez de a luminária e o entorno estarem protegidos por laje de concreto, estava fechada por um simples trabalho comum de alvenaria. Outro problema diz respeito à técnica construtiva e ao projeto. Quando os fugitivos saíram pela luminária, entraram naquilo que se chama de shaft, onde se faz a manutenção do presídio, com máquinas, tubulações e fiação”, explicou o ministro.

“É uma questão de projeto. Quem fez deveria ter imaginado que a proteção deveria ter sido mais eficiente”, avaliou Lewandowski. Para o ministro, o fato de a ação dos criminosos ter ocorrido na madrugada da terça-feira de Carnaval para a Quarta-feira de Cinzas pode ter facilitado a operação, porque as “pessoas costumam estar mais relaxadas” nesse período.

Estrutura da penitenciária

A penitenciária de Mossoró tem área total de 12,3 mil m². Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, os custodiados ficam em celas individuais, equipadas com dormitório, sanitário, pia, chuveiro, mesa e assento. Não há tomadas nem equipamentos eletrônicos.

Nas penitenciárias federais, há unidades básicas de saúde, e todos os atendimentos primários são realizados pela equipe de especialistas e técnicos dos locais. Também há parlatórios para o atendimento de advogados e salas de videoconferência para participação em audiências judiciais.

Para ser transferido para o sistema penitenciário federal, os presos devem ter cargo de liderança ou cometer crime que ponha em risco a integridade física no presídio comum; integrar quadrilha envolvida em crimes com violência ou grave ameaça; ser réus colaboradores ou delatores premiados com risco à integridade física; ou estar envolvidos em fugas, violência ou grave indisciplina no presídio de origem.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

News Post 2025 © Todos direitos reservados