domingo, abril 14, 2024
Home Mundo Passos de Maduro rumo às eleições estão na direção errada, diz autoridade dos EUA

Passos de Maduro rumo às eleições estão na direção errada, diz autoridade dos EUA

por tiagotortella
0 Comente
passos-de-maduro-rumo-as-eleicoes-estao-na-direcao-errada,-diz-autoridade-dos-eua

O subsecretário de Estado dos Estados Unidos para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Brian A. Nichols, afirmou que o governo Maduro está tomando medidas “na direção errada”.

“Os Estados Unidos assumiram um ‘risco calculado’ ao negociar com o governo venezuelano, mas concluíram que o status quo na Venezuela é mau para os EUA, bom para os nossos adversários e não fará avançar a causa da democracia”, adicionou.

Nichols fez as declarações em um fórum organizado pelo grupo de reflexão Sociedade das Américas/Conselho das Américas (Ascoa), em Washington.

O subsecretário afirmou que “a recusa de Maduro em restaurar os direitos políticos dos candidatos, como a vencedora das primárias da oposição, María Corina Machado, e o assédio e prisão de muitos dos seus apoiadores são passos na direção errada”.

A autoridade acrescentou que “apesar dessas ações recentes, continuamos comprometidos em apoiar o progresso democrático da Venezuela e, juntamente com os membros da comunidade internacional, em insistir no direito da oposição venezuelana de escolher o seu candidato e no direito do povo venezuelano de elejer seu próximo presidente”.

Em janeiro, o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela barrou a candidatura de Machado, ao ratificar uma inabilitação de 15 anos que a Controladoria-Geral da República lhe havia imposto em junho de 2023 por supostamente não ter incluído em sua declaração juramentada de patrimônio o pagamento de bônus alimentares.

Ela rejeita as acusações e sustenta que a decisão é ilegal. Machado se consolidou como única candidata da oposição em outubro ao vencer as primárias da oposição com 92,93% dos votos.

O Conselho Nacional Eleitoral anunciou na terça-feira (5) a data das eleições presidenciais para 28 de julho. A realização de eleições presidenciais no segundo semestre de 2024 faz parte dos Acordos de Barbados, que o governo Maduro e a oposição assinaram em outubro passado.

Machado reagiu ao anúncio do Conselho Nacional Eleitoral dizendo que Maduro pretendia “ignorar” os direitos dos venezuelanos ao continuar com um processo que a mantém inabilitada, uma decisão que considera injusta.

O governo venezuelano não comentou as declarações de Nichols. A CNN tentou entrar em contato com o ministério das Relações Exteriores para saber sua posição, mas não obteve resposta

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

News Post 2025 © Todos direitos reservados