quinta-feira, abril 18, 2024
Home Mundo República Dominicana não autoriza premiê do Haiti a ficar no país indeterminadamente

República Dominicana não autoriza premiê do Haiti a ficar no país indeterminadamente

por tiagotortella
0 Comente
republica-dominicana-nao-autoriza-premie-do-haiti-a-ficar-no-pais-indeterminadamente

A República Dominicana informou nesta quarta-feira (6) que não autorizou que a aeronave do primeiro-ministro haitiano, Ariel Henry, faça escala em seu território por tempo indeterminado.

De acordo com o porta-voz do governo dominicano, Homero Figueroa, nos dias 4 e 5 de março, os governos dos Estados Unidos e do Haiti “consultaram de maneira informal a República Dominicana sobre a possibilidade” de que a aeronave que transportaria Henry de volta para o Haiti pudesse fazer uma “escala indefinida” em território dominicano.

“Nas duas ocasiões o governo dominicano comunicou a impossibilidade de tal escala, sem receber um plano de voo definido”, explicou o porta-voz, que também informou que a segurança da fronteira com o Haiti, país com o qual a República Dominicana divide a Ilha Hispaniola, foi reforçada com tropas e equipamentos.

Henry esteve, nos últimos dias, no Quênia, onde terminava de negociar o envio de uma missão multinacional de apoio à segurança do Haiti.

Segundo Figueroa, no entanto, o ministério de Relações Exteriores disse que Henry estava em Nova York depois da visita ao país africano.

Na terça-feira (5), ele aterrissou em Porto Rico e há dúvidas sobre quando e se voltará ao Haiti.

“É fundamental destacar que a República Dominicana mantém a disposição de continuar cooperando com a comunidade internacional para facilitar o retorno do Haiti à normalidade. Mas é imperativo que qualquer ação adotada não comprometa nossa segurança nacional”, enfatizou o porta-voz dominicano.

Na ausência de Henry, a violência de gangues que pedem a renúncia do primeiro-ministro se intensificou no Haiti e aterrorizou a capital Porto Príncipe. Os criminosos atacaram delegacias e a maior prisão do país, permitindo a fuga de mais de quatro mil detentos e deixando mortos.

Tiroteios nas proximidades do aeroporto internacional da capital cancelaram voos. O agravamento da crise levou o governo a declarar estado de emergência e decretar toque de recolher noturno.

Também na terça, Jimmy Cherizier, líder de uma aliança de gangues do país, advertiu que o Haiti pode entrar em guerra civil e viver um genocídio se o primeiro-ministro não deixar o poder.

Ariel Henry governa o país desde o assassinato do então presidente Jovenel Moïse, em 2021, e tinha se comprometido a realizar eleições e deixar o poder em fevereiro deste ano.

Nesta quarta, o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Matthew Miller, afirmou que os EUA não estão pressionando o primeiro-ministro a renunciar, mas que é preciso acelerar a transição de governo.

A violência das gangues no Haiti já forçou mais de 300 mil pessoas a fugir de suas casas. Desde janeiro, mais de mil pessoas morreram, ficaram feridas ou foram raptadas.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

Facebook Twitter Youtube Linkedin Envelope Instagram

categorias noticias

noticias recentes

Charles 3º aparece com Camilla em seu primeiro cartão de Natal como rei Após 25 dias, cápsula de missão lunar sem tripulação cai no Oceano Pacífico Após contagem regressiva, luzes de árvore de Natal de Lisboa falham e vídeo...

as mais lidas

Charles 3º aparece com Camilla em seu primeiro cartão de Natal como rei Após 25 dias, cápsula de missão lunar sem tripulação cai no Oceano Pacífico Após contagem regressiva, luzes de árvore de Natal de Lisboa falham e vídeo viraliza “Nossa simples existência é ilegal”: russos LGBTQIA+ temem pelo futuro

News Post 2025 © Todos direitos reservados