quarta-feira, fevereiro 14, 2024
Home Brasil USP entra para o Guinness World Records pela primeira vez após descoberta

USP entra para o Guinness World Records pela primeira vez após descoberta

por brunolafore
0 Comente
usp-entra-para-o-guinness-world-records-pela-primeira-vez-apos-descoberta

Uma equipe de cientistas da Universidade de São Paulo (USP), liderada pelo Dr. Dan Palcu, do Instituto Oceanográfico, fez uma descoberta que entrou para o Guinness World Records: o Paratethys, o maior lago que já existiu na Terra. É a primeira vez que a USP entra para a lista de recordistas.

O Paratethys, que existia há aproximadamente 11 milhões de anos, cobria uma área colossal de 2,8 milhões de quilômetros quadrados, o que o torna mais de 10 vezes maior que todos os lagos de água doce e salgada juntos no mundo hoje.

O volume de água do Paratethys era de 1,8 milhão de quilômetros cúbicos, equivalente a 18 vezes o volume do Mar Negro.

“Durante muito tempo, acreditava-se que ali existia um mar pré-histórico, conhecido como Mar Sármata. Agora, temos evidências de que, ao longo de cinco milhões de anos, este mar tornou-se um lago isolado do oceano e cheio de animais nunca vistos em outros lugares ao redor do globo”, revela Palcu.

Fauna e ecossistema

Segundo a pesquisa do Dr. Palcu, o Paratethys abrigava uma fauna única, com diversas espécies nunca antes registradas em outros lugares. Entre elas, destaca-se a Cetotherium riabinini, a menor baleia já registrada.

A equipe do pesquisador também descobriu que o Paratethys era habitado por botos, semelhantes aos da Amazônia, que ficaram presos no lago quando a conexão com o mar se perdeu.

O estudo também forneceu insights sobre a resiliência de ecossistemas aquáticos a eventos climáticos extremos.

“Ao explorar os cataclismos que este antigo megalago sofreu, como resultado das alterações climáticas, obtemos informações valiosas que podem elucidar potenciais crises ecológicas. É uma forma de entender as crises desencadeadas por mudanças no clima pelas quais o nosso planeta atravessa atualmente”, explica Palcu.

A pesquisa sobre o Paratethys foi realizada em colaboração com cientistas da Universidade de Utrecht (Holanda), da Academia Russa de Ciências, do Centro Senckenberg de Pesquisa em Biodiversidade e Clima (Alemanha) e da Universidade de Bucareste (Romênia). O estudo foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

*Sob supervisão de Bruno Laforé

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

News Post 2025 © Todos direitos reservados